Oi de novo!

Seguindo um desafio da Dan*, postado no ScrapDiary, eu fiz a página abaixo.

Esta página é muito, muito especial para mim, porque ela sempre vai ser meu ponto de recordação de 2009 (as fotos não são de 2009, mas as pessoas que mais marcaram meu ano, com muito amor, estão aí).

Foram as minhas ir-mães e meu noivo que cuidaram de mim depois da cirurgia. Que encararam minha luta, como sendo deles. Que vibraram com cada progresso que fiz no pós operatório.

O resultado disso? Foi que toda a dificuldade que pensávamos que iria se alongar nesse ano, ficou em 2009. Estou plenamente recuperada.

Resultado de uma soma:  Médicos competentes com uma equipe ídem + esforços meus (sem nenhuma modéstia) + MUITO, MUITO, MUITO, MUITOOOO AMORRR que recebí da minha família toda, mas principalmente e ESPECIALMENTE, da Cris, da Heloísa  (minhas irmãs) e do Eliman, meu noivo.

E amor é tudo que eu sempre sentirei por eles.

*Ah… duas irmãs…eu…um noivo…sobra uma pessoa nessa foto… é a minha sobrinha, Miloca, aproveitando colos danados de bons!*

All I needed in 2009

All I needed in 2009

Nesta página, usei transparência e glitter cuts Fancy Pants, alguns die cuts em chipboard, tecido ScrapDiary, ilhoses Provo Craft, textos impressos em cardstock branco e muiiitos brads (bailarinas).

Ontem eu acordei às 6:10 da manhã mais ou menos. Espontanemamente. Nem foi a Norah que me acordou miando na minha cabeça. Embora fosse sábado e eu adore dormir, eu não fico chateada de andar despertando cedo assim, porque eu vou alí na minha varanda, o dia que tem sol, vejo o sol saindo… o dia que tá nublado, eu admiro a chegada da chuva, coisas assim. E acabo achando desperdício querer voltar para a cama sabendo que o que dormí já deu.  Tá fazendo então mais ou menos 26 horas que tou acordada sendo que, as últimas 8, acompanhando uma mudança de sistema já prevista no meu cliente, cuja expectativa era durar apenas 1 hora. Mas eu já sabia!

E entre uma espera e outra, vou alí pesquisar coisas de Scrap, entro em um ou outro blog de amigos… e enquanto os técnicos falam no chat que só querer colocar a tal aplicação no ar para poderem ir dormir, eu tou aquí, pilhada… procurando na TV algo que me distraia…

… desliguei a TV.

O Namorido ronca lá no quarto, e Norah, que ficou acordada me rondando a noite inteira, se rendeu e está dormindo aquí do meu lado. E eu penso se não deveria chegar bem perto da orelha dela e começar a miar… e se ela não me der atenção, se eu devo dar mordidinhas na patinha dela, como ela faz com a minha mão. Resolvo que é melhor não. Porque se ela acordar e me fizer um carinho com seu fucinho gelado no meu pescoço, como ela gosta de receber, eu não vou saber sair correndo pelo corredor e virar uma cambalhota, como ela faz, de alegria por me ter ao seu lado. E então, qual seria a recompensa que eu daria a ela por ter sido acordada?

Eu deveria estar dormindo, para quando meus amores acordarem, eu não estar com sono, e poder curtí-los e dar atenção como eles me dão (O Eliman também, virou noite comigo…ficou do lado até 5 da manhã…mas se rendeu antes).\Mas com o trabalho cumprido, com o silêncio quebrado apenas por alguns Bem-te-vis (é assim o plural?) e os primeiros (e poucos) ônibus rondando a cidade, eu quis apenas registrar todas essas impressões, para que um dia eu possa voltar e ler aquí… porque está gostoso.

Porque é bom saber que tenho minha varanda com uma vista linda. É bom ouvir o ronco do meu bem lá no fundo. É bom ouvir o miado da Norah a cada manhã, e nessa, em particular, vê-la dormir do meu lado. É bom sentir a brisa suave entrando alí pela porta.

É bom saber que faço parte disso tudo. É bom saber que nós três, a despeito de todo concreto e material à nossa volta, formamos um lar.